Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Memórias da Covilhã

Memórias da Covilhã

UM COVILHANENSE NO CENTRO DO 25 DE ABRIL DE 1974

28.04.18, Memórias

31234989_2046490142047204_114595349569470464_n.jpg

António Sena estava, à época, a cumprir o serviço militar na escola prática de cavalaria em Santarém e fez parte do batalhão que, sob as ordens de Salgueiro Maia, partiu rumo ao Terreiro do Paço onde estavam alguns dos principais objectivos estratégicos da missão, como os ministérios ou a “Marconi”. Posteriormente integrou as forças que rumaram ao Quartel do Carmo, onde o então presidente do conselho, Marcelo Caetano, se tinha refugiado e onde procedeu à transmissão de poderes ao general António de Spinola.

António Sena conta, na primeira pessoa, os momentos vividos nesse dia. Oiça a entrevista…..

 

Quando a revolução chegou a Unhais da Serra após a revolução de 25 de Abril de 1974

24.04.18, Memórias

Quando a revolução chegou à Penteadora 

 Vídeo  

http://ensina.rtp.pt/artigo/quando-a-revolucao-chegou-a-penteadora/

ArqUnhais.jpg

Em Maio de 1975 a empresa "A Penteadora", em Unhais da Serra, foi ocupada pelos operários que passaram a gerir a fábrica e a decidir o seu futuro. Uma equipa de documentalistas deslocou-se à Covilhã para acompanhar os acontecimentos.

“A Penteadora”, Sociedade Industrial de Penteação e Fiação de Lãs, nasceu em 1930 em Unhais da Serra por iniciativa de um clérigo, o padre Alfredo Marques Santos, que tinha como objetivo melhorar a vida da população daquela localidade no interior da Covilhã.

Nas décadas seguintes mudou de mãos e ainda antes da revolução de abril os trabalhadores fizeram uma greve que teve grande impacto na região.

No dia 15 de maio de 1975 ocuparam a fábrica e passaram a geri-la. Em pleno território dos lanifícios este caso teve grande repercussão na indústria durante o processo revolucionário vivido naquele período.

A revolução em Unhais da Serra

  Vídeo  

http://ensina.rtp.pt/artigo/a-revolucao-em-unhais-da-serra/

Media player poster frame

É um retrato de Unhais da Serra, uma freguesia da Covilhã, após a revolução de 25 de abril de 1974. Fala-se de sonhos e expectativas e percebe-se a existência de tensão social entre a população.

Esta reportagem aborda as mudanças políticas e sociais que se registaram em Unhais da Serra nos meses após a revolução, nomeadamente a forma como a freguesia se dividiu entre as diversas propostas políticas. Há também referência às ocupações de terras e de uma fábrica existentes naquela freguesia.

Realizada em 1975, tinha por objetivo  mostrar o processo de “consciencialização política” de uma zona do interior país, afastada dos grandes centros populacionais, e onde se tentava compreender e acompanhar as  mudanças que aconteciam pelo país.